Crédito da imagem: Capa Marília A Cara do Espelho em foto de reprodução.

'A cara do espelho' reflete inacabado disco de 2015 em que Marília dá voz a Ary e Jobim

Mauro Ferreira

Não surpreende que os 75 anos que Marília Marzullo Pêra (22 de janeiro de 1943 – 5 de dezembro de 2015) poderia estar festejando hoje, se não tivesse saído de cena há pouco mais de dois anos, estejam sendo postumamente comemorados com o lançamento do single A cara do espelho nas plataformas digitais. Marília Pêra foi atriz tão grande e versátil que desempenhou com talento e musicalidade a personagem de cantora de música popular, tendo gravado discos, estrelado musicais e encarnado várias estrelas do Brasil no espetáculo Elas por ela (1989).

Bolero composto por Guto Graça Mello em parceria com Nelson Motta para a trilha sonora da peça musical Feiticeira (1975), A cara do espelho foi originalmente gravado por Marília no álbum de 1975 com as músicas do roteiro desse fracassado espetáculo. O bolero, aliás, é a composição mais inspirada da trilha reeditada em CD em 2011 pela gravadora Joia Moderna. Mas é inédito o registro do single digital disponibilizado hoje em edição da gravadora Biscoito Fino. Trata-se de prévia de álbum deixado inacabado pela artista. Entre versos em português e em espanhol, a atriz esboça balanço existencial ao dar voz ao bolero regravado por Nana Caymmi há 20 anos para o álbum Resposta ao tempo (1998). O arranjo sugere clima de samba-canção até cair na cadência típica do bolero.

Em setembro de 2015, Marília Pêra entrou no estúdio da Biscoito Fino, na cidade do Rio de Janeiro (RJ), para dar continuidade à discografia iniciada na década de 1970 com o registro de músicas para trilhas sonoras de novelas da TV Globo. Mesmo já debilitada pelo câncer que calaria a voz da atriz-cantora dali a três meses, a intérprete iniciou a gravação de 12 músicas com produção de José Milton. A artista teve tempo de pôr somente as vozes-guia, e não as vozes definitivas, em seis dessas músicas, incluindo composições (de títulos ainda não revelados) de Antonio Carlos Jobim (1927 – 1994) e Ary Barroso (1903 – 1964).

A pós-produção das gravações (feita com a adesão vocal de familiares e amigos da artista) gerou o álbum que tem previsão de lançamento para o segundo semestre deste ano de 2018 e que será antecedido por edições paulatinas de singles como Duas contas (Garoto, 1955) e Lua e flor (Oswaldo Montenegro, 1984). O repertório originalmente selecionado para o álbum inclui músicas de compositores como Dolores Duran (1930 – 1959) e Jacques Brel (1929 – 1978), cuja canção Ne me quitte pas (1959) chegou a ser gravada por Marília em versão em português escrita por Fausto Nilo e intitulada Não me deixes mais.

G1
https://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/post/a-cara-do-espelho-reflete-inacabado-disco-de-2015-em-que-marilia-da-voz-a-alf-e-jobim.ghtml

Outras Notícias

'Afogamento' aponta no horizonte álbum em que Roberta Sá canta 11 inéditas de Gil

Mauro FerreiraEm rotação na web a partir deste fim de semana, através da Gegê Produções, o single ...

Guitarra de Bob Dylan é leiloada por US$ 495 mil em Nova York

France PresseUma guitarra de Bob Dylan, símbolo de sua mudança para o som elétrico, foi vendida neste sábado (19...

De Trevo a Clareiamô, Anavitória faz público delirar no Campus Festival 2018

Um dos shows mais esperados do Campus Festival, o duo Anavitória começou a se apresentar por volta das 20h do sábado ...

Arnaldo Antunes dá caráter feminino ao samba em single em que cita Ivone Lara

Mauro FerreiraSem sair do universo do rock, Arnaldo Antunes entra no mundo do samba com álbum intitulado RSTUVXZ...