Crédito da imagem: Roberta Sá e Gilberto Gil -Foto de reprodução - G1.

'Afogamento' aponta no horizonte álbum em que Roberta Sá canta 11 inéditas de Gil

Mauro Ferreira


Em rotação na web a partir deste fim de semana, através da Gegê Produções, o single Afogamento aponta no horizonte o álbum em que Roberta Sá canta 11 músicas inéditas de Gilberto Gil – visto na foto de Alice Venturi em momento de ternura com a cantora de origem potiguar radicada na cidade do Rio de Janeiro (RJ) desde a adolescência.

Canção assinada pelo compositor baiano em parceria com o jornalista Jorge Bastos Moreno (1954 – 2017), promotor de almoços dominicais temperados com música que aproximaram Gil de Roberta em 2016, Afogamento ostenta o refinado D.N.A. melódico, rítmico e poético do artista. Além de dividir com a cantora os versos de tom filosófico, Gil toca um violão com a bossa típica desse compositor de musicalidade singular.

Programado para ser lançado no segundo semestre, o álbum de Roberta Sá tem produção assinada por Bem Gil, autor da ideia de o disco ter somente músicas inéditas do patriarca da família. O projeto inicial previa a mistura de algumas músicas inéditas, como o samba de roda Giro, com regravações do cancioneiro de Gil. Foi também Bem quem arregimentou a banda formada  por Bruno Di Lullo (sintetizador), Domenico Lancellotti (bateria e MPC), Alberto Continentino (baixo) – músico que já tocava com Roberta Sá – e Joana Queiroz (clarinete), além do próprio Bem Gil, que toca percussão em Afogamento.

O repertório do álbum de Roberta inclui Cantando as horas – música assinada por Gil com a própria Roberta Sá, compositora eventual – e a primeira parceria de Gil com Jorge Ben Jor em 33 anos, de título ainda não revelado.

Além de virar parceira de Gil, Roberta Sá tem o cacife aumentado no mercado fonográfico pelo simples fato de lançar um álbum somente com músicas inéditas do compositor – proeza nunca realizada por outro artista do Brasil.

Como Gil também tem pronto um álbum de músicas inéditas que também será lançado no segundo semestre deste ano de 2018 com produção assinada por Bem Gil, não será surpresa se for anunciada uma turnê nacional conjunta dos artistas com show em torno da obra de Gil, com foco nessas vinte e poucas canções inéditas que compõem os repertórios dos dois discos.


Portal G1

Outras Notícias

Samba de Milton Nascimento e Fernando Brant de 1970 ainda traduz 'país do futebol'

Mauro FerreiraEm 1970, ano em que o Brasil se sagrou tricampeão na Copa do Mundo disputada no México, Milton Nascimen...

Gal Costa vislumbra o tempo liso e estilhaçado de Gilberto Gil em canção do álbum 'A pele do futuro'

Mauro FerreiraA pele do futuro é o título do 40º álbum da discografia de Gal Costa. O nome do álbum – cuja previsão d...

Novo lançamento na acesita FM destaca o pop da Banda Hemera.

A banda Hemera estréia novo single na programação acesita FM. "Quebrando os elos" se destaca com um bem aplicado riff...

D. J. Fontana, baterista de Elvis Presley, morre aos 87 anos

O músico americano D. J. Fontana, que foi baterista de Elvis Presley, morreu aos 87 anos nesta quarta-feira (13), inf...